quarta-feira, 29 de abril de 2009

Os filmes da minha vida

Da série Blogagem Coletiva

Filmes, filmes, filmes! Qual a melhor diversão do mundo depois de uma boa leitura? Claro que é se entregar, por algumas horas, à magia do cinema! Ali se encontra tudo que há num bom livro: história, enredo, suspense, encantamento, fascinação, personagens... Aliás, esses três últimos "itens" são definitivos para que eu tenha certeza que aquilo lá que eu vi é realmente um filme excepcional.

Já vi muitos e isso torna especialmente difícil e árdua a tarefa de escolher um só para ser "o" filme da minha vida. Como acabei fazendo na escolha do livro da minha, decidi apontar três títulos que mudaram para sempre minha maneira de ver a vida.

Vou começar pelo filme que me causou a sensação mais gostosa que se tem ao assistir um filme: o encantamento. Supercalifragilisticexpialidocious! Quando escutei isso pela primeira vez - lá pelos meus oito anos - nossa! O encantamento foi imediato. Mary Poppins [1964, Robert Stevenson] com sua sombrinha que servia de pára-quedas, seu amigo limpador de chaminés que fazia desenhos no chão - e dava pra mergulhar neles - e sua valise com um fundo sem fim fez parte de meu imaginário por muitos anos. E até hoje, quando ando no maior estresse, essa obra-prima do cinema sempre aparece como apaziguador dos hormônios e pressões da vida: é só assistir que saio feliz, cantarolando as canções da babá mais divertida do mundo.


O segundo filme da lista foi o que me causou uma fascinação que me faz suspirar até hoje, quando penso nele: Casablanca [1942, Michael Curtiz] com sua história de amor cheia de rancores e paixões exacerbadas conquistou platéias do mundo inteiro e não foi por acaso! Rick (Humphrey Bogart) é sombrio e desiludido, encarando a vida com a dureza e o cinismo dos que carregam o coração partido; ele comanda um bar em Casablanca, único ponto de fuga para sua amada Ilsa, (Ingrid Bergman, lindíssima) que não está sozinha, mas com o marido - e ele não é qualquer um: ele é simplesmente um dos cabeças da resistência tcheca ao nazismo que tomava conta da Europa na Segunda Grande Guerra. Em meio a toda a turbulência política que ronda o local, Rick e Ilsa relembram o grande amor vivido entre os dois ainda em Paris, antes da invasão nazista na França. E quando Sam, o pianista do Rick's Bar toca As time goes bye, após a discreta insistência de Ilsa, a paixão por essa história e por esse filme é instantânea.

Uma outra coisa que destaco nesse filme é a riqueza dos diálogos, com frases e situações afiadíssimas para quem gosta de prestar atenção nisso. Tudo é muito cínico, tudo é muito duro, principalmente quando os personagens do Risck's Bar estão em cena. Na passagem em que Ilsa insiste que Sam toque As time goes by, ele simplesmente finge que não a conhece! O diálogo:

ILSA: Toque uma vez, Sam. Pelos bons velhos tempos.
SAM: Eu não sei o que quer dizer, senhorita.
ILSA: Toque, Sam. Toque As time goes by.

E os acordes e o vozeirão de Sam enchem o bar, para desespero de Rick, que queria mesmo era esquecer aquilo tudo. Fan-tás-ti-co!


O último filme dessa humilde lista é um que me causou fascinação e encantamento pela riqueza dos personagens apresentados ali. Também me fez ter certeza de que o cinema e a arte são uma fábrica inesgotável de possibilidades: Dogville, de Lars von Trier [2003]. Cinema com cara de teatro, teatro do absurdo, teatro caixa preta, num galpão escuro e sem elementos de cena. Um filme baseado na força de sua história e de suas atuações: um show.

O filme começa com uma tomada de cima, onde se pode ver o desenho da cidade - com as marcações dos espaços das casas desenhados no chão. A cidade se chama Dogville e é lá que Grace (Nicole Kidman, atuação fenomenal) procura abrigo ao fugir de gângsteres. Os moradores do local não querem se comprometer, mas deixam Grace ficar por ali, fazendo tarefas que "não são necessárias", mas que os moradores "generosamente" permitem. A verdade é que não há generosidade ou bondade, mas apenas uma relação de troca. E é aqui que a história relata de maneira magistral a arrogância inata ao ser humano. Lindo, simplesmente lindo.


Esses são os filmes da minha vida. Espero que tenham assistido - e gostado.
----------------------------------------------------

Escute aqui As time goes by como toca em Casablanca.

----------------------------------------------------
Este post faz parte da Blogagem Coletiva - O Filme da Minha Vida, proposta pela Vanessa, do Fio de Ariadne, ao qual 120 blogueiros cinéfilos aderiram e estão, hoje e amanhã, escrevendo sobre os filmes de suas vidas. Para ler esse pessoal todo, clique aqui.
.

36 comentários:

Vanessa disse...

Gisele, vc escolheu três filmes completamente diferentes e que eu adoro!Muitíssimo obrigada pela sua participação.

Abraço!

Paula disse...

Oi, Gisele,
Cheguei até aqui por causa da Blogagem Coletiva, tb estou participando!
Eu adorava Mary Poppins qdo era pequena!!! Casablanca eu ainda não assisti e Dogville eu não gostei muito.
Bjos,
Paulinha

Patricia disse...

casablanca é um clássimo, acho lindissimo!
mary poppins eu nunca vi o filme, sabe quando voce começa e nunca termina, mas eu vi o musical e eu amei!
e dogville tem um final ótimo, mas lá pelo meio eu dei umas cochiladas quando vi lol

:********

Du disse...

Adorei os dois primeiros filmes, porém, Dogville achei chato e cansativo =/
Mas gosto é gosto né? kkkkkkkkk
Estou encantada por esta blogagem! \o/

Beijos!!!

Ester disse...

Oi amiga,

Viajei agora em suas palavras, que gostoso recordar desses clássicos do cinema!

Parabéns pela sua radiante participação!


Bjs!

*Renata disse...

Eii dona Gi!

Empatamos em uma das escolhas!
Mary Poppins é o filme de nossas vidas :)

Hariane disse...

Três filmes maravilhosos, parabéns!


Bj

Compondo o olhar ... disse...

concordo com os 2 primeiros, filmes lindos, mas dogville,sinceramente , não gostei...
parabens pela participação.

bjocas

ps: tbm estu participando!!

Bia Kohle disse...

Não conseguí ver nenhum dos três.
Sabe, sou meio nova demais. Já procurei em locadoras, para baixar.
Mas nunca achei.
Porém, sempre são muito bem recomendados. Aposto que você não errou ao idicá-los.

Beijão.

Olavo disse...

Prazer Giselle..bela escolha eu vou procurar ver os tres..
beijos

LuLu disse...

Tem razao Gisele, Dogville é maravilhoso, fascinante, encantador e com atuaçoes primorosas. Parabéns pelas escolhas.
Se voce gostou dessa linguagem que mistura cinema e teatro vai me permitir uma sugestao: O Telefone - 1987/1988 - protagonizado por Whoopi Goldberg. MA-RA-VILHOSO!
Veja e depois me conte.

Obrigada pela visita ao Mundo Novo. Venha sempre, ok?
Beijo.
LuLu.

Karen disse...

MAry Poppins é tdb. Sou suspeia pq amo filmes classicos.
Bjos e de uma olhadas nos meus no 'Façamos um Brinde'.
Um ótimo fds

Dalva disse...

Oi, Gisele,

Menina, valeu pela dica de Dogville, vou procurar assistir!

Beijinhos!

meus instantes e momentos disse...

Passando por aqui para te desejar um belo dia e um ótimo feriado.
Beijos e apareça.
Gosto daqui.
Maurizio

Crisenta disse...

meninia eu escolhi um filme so mais deixei um top dez la no blog, afinal de contas fala de um so da uma aperto no coração ne? huahau adorei suas escolhas... bem distintas mais todas que vc sitou me marcaram de algum jeitooo tbm Casablanca nem se fala ai aiii 'sempre teremos paris'... beijos

marie disse...

Olá Gisele
Os dois primeiros filmes que indicou, vi e adorei. O terceiro
não vi, mas não duvido que seja um bom filme.
Voltarei com mais tempo...
Beijo
Marie

Tempestade disse...

Gisele,
Lindo Post!
Os três filmes que citou, assisti apenas a Casablanca.
Mas vou querer ver os outros com certeza.
Você redige muito bem, parabéns!
E seu blog é muito lindo!
Voltarei mais vezes!
E seja bem vinda em meio as minhas tempestades.

Beijos Tempestuosos!

sonia a. mascaro disse...

Ótimas escolhas Gisele!

Não assisti Dogville... estou curiosa para ver.

Obrigada por sua visita.
Bjs.

Nanda Botelho disse...

Seleção da pesada! Dois clássicos e um filosófico, dos 3 achei o terceiro o mais difícil, o filme é bom, mas dá um soco no estômago.

Mary Poppins era a babá dos meu sonhos.

Casablanca, só assisti por causa do Woody Allen, de primeira não gostei, a segunda foi melhor, hoje eu gosto.

Um abraço! Também estou participando!

janaina de almeida disse...

Gisele, como vai?Obirgada por comentar lá no blog e Casablanca , sem comentários , é o clássico dos clássicos.Mary Popins, sempre quis aquela sombrinha, para se livrar de engarrafamentos.
Beijos e ainda não visitei a Casa França Brasil que passou por reformas,né?Beijos.

Nanda Botelho disse...

Vim agradecer por ter se tornado seguidora, espero que volte sempre!

Bjs!

Du disse...

Passei pra te de desejar um ótimo final de semana!!!
Beijo no coração! :D

Luciano A.Santos disse...

Oi Gisele,

gostei muito de Casablanca, e desde o lançamento procuro desesperadamente por Dogville, que nunca apareceu aqui pelo interior. Agora pretendo ir em busca dele com mais afinco, quem sabe encontro.

Parabéns pelo post, abraços.

adelaide amorim disse...

Gisele, adorei suas escolhas. Três filmes excelentes, cada um a seu jeito. Muito bom mesmo. Um beijo pra você.

mangapinto disse...

Amiga Gisele Amaral, ótimas as suas escolhas, em especial Casablanca, um dos filmes preferidos. Parabéns pelas escolhas e obrigado pelo gentil comentário.

Abraços - Mangarosa

Miguel S. G. Chammas disse...

Gisele obrigado pela visita, volte sempre que quiser ou puder.
Gostei d3emais do seu post, mergulheio no tempo e voltei ao passado.

Wania disse...

Oi, Gisele...
Belo post.
Escolher um filme, pra quem gosta de tantos, não é tarefa fácil, não é mesmo? Só pensar para escolher um já nos faz relembrar as maravilhas que o cinema nos proporciona!
Obrigada pela visita no meu Encantaventos.
Que possamos, apartir de agora, fazer deste intercâmbio, uma troca interessante!
Voltarei muitas vezes!
Bjs e bom final de semana para ti.

kilder disse...

muito bacana o teu blog...parabens!!!! t+

Taty e Ana disse...

Ola, obrigada por passar no meu blog. Adorei o seu, muitass dicas, vou demorar um pouco por aqui..Ana Laura

renato disse...

tenho certeza que fizeste essas escolhas por mim.

Bruna disse...

Oi, Gisele :)
Vim retrubuir sua visita ao meu blog e, que surpresa, encontro um espaço lindo! Nossa, os filmes me lembraram muita coisa boa, e Casablanca, então... Adorei seu cantinho :)
Muito obrigada pelo comentário.
Já estou seguindo, certo? ;**

Gabriel disse...

tenho que ver esses três filmes
heheehehe

Cláudia Oliveira disse...

ola Gi! parabéns pelo texto! Vc. além de escrever muito bem, sintetiza e sinaliza com clareza sua escolha. Os três filmes e as três emoções que seleciona são sensacionais! Quando vi Dogville sai do cinema sentindo-me mal....mal por pertencer à espécie humana! Foi o primeiro filme a contar uma história dessa forma e assim o que realmente conta (e que vc. só percebe quando se toca que não vai sair daquele cenário e terá que imaginar tudo que é material) é o sentimento que querem descrever....visceral, arrebatador.

adorei o blog! bjos

Gabriela disse...

Gisele,

Muito obrigada pela visita!

"Mary Poppins", acho que faz parte do imaginário de todos nós!
"Casablanca"...Ah, "You must remember this, a kiss is jus a kiss...". Um clássico intemporal. Amo este filme.
O último não conheço mas você descreve-o muito bem, escreve com muita leveza e dá gosto ler. Parabéns!
Tenho um "Café e um sorriso" para todos os que me visitam. Quer ir buscá-los?
Bjssssss.

marcello disse...

Gisele
TAmbém gostei do filme da Disney com Dick Vandyke!
Todo mundo curte Casablanca né?
Grande abraço!

MFP disse...

Há tanto por onde escolher e esses são todos filmes de culto, logo impossíveis de apagar da nossa mente.
Obrigada pela visita.